Relacionamentos e o voo dos pássaros

     Hoje, gostaria de, mais uma vez, escrever através de comparações e metáforas. Vou me utilizar, neste artigo, de alguns pássaros que realizam o voo em forma de V.

 

     Acredito que a grande maioria das pessoas já tenha visto esta formação em V, durante o voo de alguns pássaros. A natureza é sábia e, apesar de ser por mero instinto, nos dá lições maravilhosas.

 

     Segundo os cientistas, essas formações em V ajudam os pássaros a conservarem sua energia, já que cada um voa ligeiramente à frente do outro, proporcionando menos resistência ao vento. Para manter a justiça no grupo, as aves se revezam na liderança, e as que se cansam se deslocam para trás. Idade, sexo e tamanho do corpo também determinam quem vai liderar a formação em V.

 

     Estar ligeiramente um atrás do outro faz com que se cansem menos, isto porque estão poupando energia. Meus queridos, assim somos nós quando aprendemos com as histórias e situações alheias! Talvez, o Canal Ponto de Vista seja um voo em V! As histórias e as aprendizagens nos unem e, se soubermos tirar lições, pouparemos energia e evitaremos desgastes desnecessários.

 

     Todas as situações alheias não podem fazer com que nos sintamos desmotivados ou que fiquemos incrédulos das relações humanas, claro que não! Os relacionamentos humanos nos fazem bem porque somos, naturalmente, seres sociais e, sendo assim, necessitados de tais relações, sejam de amizade, profissionais, familiares ou amorosas.

 

     Quando olhamos e refletimos sobre outras histórias, temos a possibilidade de avaliarmos e reavaliarmos nossas próprias relações, assim como nossas atitudes conosco mesmo e para com os outros. Temos a possibilidade de reorganizar nossas ações.

 

     Por fim, as aves se revezam na liderança, deslocando-se para trás. Isso nos ensina o quanto devemos saber delegar. O verdadeiro líder é aquele que delega funções. Nos relacionamentos amorosos, apesar de caminharmos lado a lado, haverá momentos em que um estará precisando mais do outro. É nesta hora que é necessário saber entender o cansaço do outro e assumir a liderança (dar carinho, apoio, afeto). Relacionamentos amorosos devem ser recíprocos, sem dúvida, mas isso não significa que não possa haver alternância, pois haverá momentos em que estaremos precisando apenas receber para, assim, nos fortalecermos. É desenvolver a capacidade da empatia, de se colocar no lugar do outro e de perceber as situações e as emoções envolvidas. É fazer o voo em forma de V, o V de vitória. Pense nisso! Forte abraço: André Massolini


NEWSLETTER
RECEBA NOVIDADES PELO EMAIL.


Nome

Email

Fone